Programação Neurolinguística
pnl.jpg

A Programação Neurolinguística (conhecida como PNL), novo ramo da ciência que trata do desenvolvimento humano a partir do potencial cerebral e das variadas formas de comunicação, foi idealizada nos anos 70 nos EUA por Richard Bandler, que era matemático e estudante de Psicologia e seu então professor de Lingüística, John Grinder. Os estudos se iniciaram a partir da curiosidade sobre como algumas pessoas desenvolviam suas atividades de maneira extraordinária, e se seria possível aprender a utilizar seus “modelos” de atuação.

Estudando a forma de atuar de pessoas como Milton Ericson, Bandler e Grinder criaram a Modelagem, percebendo que toda experiência humana tem uma estrutura, inclusive as performances extraordinárias de pessoas de sucesso, e que esta estrutura de excelência pode ser reproduzida e aprendida.

O termo Programação Neurolinguística se decompõe em:

A PNL é, pois, um sistema de desenvolvimento pessoal que integra alguns princípios de várias outras áreas do Saber Humano: antropologia, psicologia, filosofia, lógica computacional, lingüística, neurologia, inteligência emocional, etc.

No aspecto pessoal e de carreira, permite não somente conhecer e aproveitar melhor o potencial do cérebro e melhorar a comunicação, mas também especificar os objetivos e as direcionar pensamento e ações na busca por resultados.

No âmbito corporativo, traz inúmeras vantagens para a organização, na medida em que busca melhorar a comunicação intra e interpessoal em todos os setores. Em especial no caso dos cargos de diretoria, gerência e atendimento, a aplicação das técnicas da PNL, aliada à prática do coaching, fornece as mais avançadas técnicas de comunicação, motivação e liderança, além de auxiliar na estruturação e busca de metas e objetivos próprios do profissional e da corporação.